HIPNOSE ERICKSONIANA

Um dos mais valiosos instrumentos de cura e transformação

Em Hipnose Ericksoniana – palavras que curam, o autor, Nicolai Cursino, alerta: “Todas as pessoas se autohipnotizam diversas vezes por dia, quase sempre sem se dar conta disso.”. Portanto, a proposta de Nicolai é que você conheça, através deste livro-curso, a Hipnose Ericksoniana criada por Milton H. Erickson, médico e hipnólogo americano, e que possa usufruir do quanto essa técnica pode ajudar a resolver as mais variadas questões, como curas físicas e de fobias, eliminar medos e dores emocionais, ressignificar histórias de vida, colaborar em tomadas de decisões importantes e muito mais.

A hipnose ericksoniana é um dos mais valiosos instrumentos de cura e transformação que podem ser utilizados dentro do processo do desenvolvimento humano. Embora a palavra que pode assustar, afastar, ou causar ceticismo em muitas pessoas, a hipnose é real e útil. É também um estado da nossa consciência muito mais comum do que imaginamos. Todos nós nos hipnotizamos diversas vezes por dia, quase sempre sem nos darmos conta disso.

A hipnose opera em dimensões da mente bastante diversas da mente racional. Atua dentro do domínio dos estados alterados da consciência, da mente inconsciente não linear, simbólica, intuitiva, circular e profunda.

Existem vários tipos de hipnose, sendo que estas podem diferir bastante em suas técnicas, filosofia, objetivos, perfis de profissionais e até mesmo nas frequências cerebrais que cada uma delas atua. Importante saber que os estados alterados de consciência são muito vastos e diferentes entre si. O estado de sono, por exemplo, é muito diferente da hipnose quando olhamos o que acontece no cérebro, embora a clássica posição de olhos fechados e conceito de que a hipnose faz a pessoa “dormir” pode confundir bastante aqueles que não têm estudo sobre o tema.

Vale ressaltar a diferença entre as duas correntes principais ou pelo menos mais conhecidas, a hipnose clássica e a hipnose ericksoniana.

A hipnose clássica é a hipnose de comandos diretos, paternais, autoritários e de induções hipnóticas (técnicas para entrar em transe, hipnotizar o cliente) rápidas frequentemente apoiadas em momentos de confusão ou “bugs” cerebrais. É a hipnose mais conhecida pelos shows de palco, com demonstração de seus efeitos em situações como comer uma cebola como se fosse uma maça, esquecer seu próprio nome, imitar animais e muito mais. Também é extremamente útil em contextos bem distantes do entretenimento, como os tratamentos de dor, as anestesias “sem química” para realização de cirurgias, a lembrança de eventos esquecidos no inconsciente para fins forenses e a programação mental para o sucesso de atletas e o acesso a estados internos como a auto-estima, a segurança e muitos outros.

A hipnose ericksoniana é a técnica criada por Milton H. Erickson, médico e hipnólogo americano falecido na década de 80 e considerado o pai da hipnose moderna e o grande precursor da hipnose como ferramenta científica amplamente validada nos meios acadêmicos e profissionais. É uma hipnose indireta, maternal, que acontece através da indução de estados de relaxamento tão profundos no cliente que seu inconsciente pode vir á tona ajudar a resolver as mais variadas questões, desde curas físicas, emocionais e espirituais, até ressignificações de eventos da vida, fobias, medos, tomadas de decisões importantes, respostas a questões complexas, aprendizagem acelerada, gerenciamento do stress e criação de estados de tranquilidade, amor, alegria, força, certeza, segurança e muito, muito mais. É uma hipnose gentil, amorosa e profunda, sempre construída em conjunto entre o hipnólogo e o cliente, a partir da criação de um campo relacional e energético baseado em amor, aceitação, entrega, intuição, confiança e respeito. É mais que uma técnica, é uma filosofia linda de comunicação avançada e transformação pessoal.

É um sistema de profunda interação e respeito entre hipnólogo e cliente, onde uma conexão de alma é estabelecida, e ambos se juntam em uma co-criação em direção a um objetivo do cliente. Objetivo este que está bem estabelecido, embora os caminhos para se chegar até ele não sejam racionais, mas sim direcionados pelas estradas não lineares da mente inconsciente.

Minha reverência à filosofia e à técnica da hipnose ericksoniana e ao ser humano maravilhoso que foi Milton Erickson, a quem considero um mestre e uma das maiores influências em minha vida profissional e pessoal, é imensa e sempre me emociona. Recomendo fortemente que você assista ao documentário “Wizard of the Desert” que conta sobre a vida de Milton Erickson.

Nosso inconsciente é um lugar cheio de recursos maravilhosos. Todos nós conhecemos a sensação de relaxar profundamente ou sentir o “tempo parar”, seja olhando para nossos filhos ou uma belíssima paisagem silenciosa. A sensação de sonhar acordado, de resolver problemas complexos num “passe de mágica”, tomando banho ou caminhando sem pensar no assunto. Conhecemos o relato de gênios da humanidade como Einstein ao intuir a teoria da relatividade e reconhecer que isto lhe veio através de um destes “sonhos acordado”, onde se viu cavalgando em um raio de luz. Esses momentos são descrições claras de um estado de transe hipnótico.

Conseguir dominar os estados de transe hipnótico é uma ferramenta poderosíssima. Há muitos anos utilizo a auto-hipnose diariamente, frequentemente várias vezes por dia, para que meu inconsciente me leve mais rapidamente ao estado interno que preciso naquele momento: segurança, tranquilidade, foco, criatividade, decisão, amorosidade, gentileza, paciência, e muitos outros.

Também uso a hipnose ericksoniana em praticamente todos os meus atendimentos individuais, seja em processos de coaching, cura, ou desenvolvimento da consciência. A hipnose aparece combinada com todas as outras técnicas de desenvolvimento, potencializando e tornando mais fáceis e sustentáveis os resultados.

Como forma de comunicação avançada, a hipnose aparece também dentro da minha oratória, nas técnicas de hipnose conversacional (hipnose embutida em uma conversa comum) que utilizo em palestras, aulas, treinamentos, vídeos, entrevistas e reuniões nos mais variados contextos.

Convido-o a estar curioso sobre a hipnose ericksoniana, com a curiosidade de uma criança. Que você possa deixar de lado qualquer pre-julgamento ou pre-concepção que você tenha sobre essa palavra, assim como qualquer temor que ela lhe possa fazer algum tipo de mal. A hipnose ericksoniana é uma benção, uma ferramenta de cura, desenvolvimento e consciência que deveria fazer parte do repertório das habilidades de todo ser humano, ensinada nas escolas, juntamente com a filosofia de transformação de Milton Erickson, baseada na empatia, no respeito e na humanidade.”